O mercado de artigos para festas em 2022. Por: Felipe Di Lello


Banco de imagens Canva

O ano de 2021 sem dúvidas foi um ano cheio de obstáculos que trouxe novas experiências neste cenário de pandemia, a falta de mercadoria causada pela quebra da cadeia de suprimentos, o abre-fecha do comércio, festas canceladas, escolas proibindo a comemoração de aniversários, sonhos adiados, no entanto, vimos o segmento da confeitaria semi-profissional evoluir com os novos entrantes procurando uma nova renda e com a inflação batendo à porta atraiu também aqueles que procuram um ganho extra para suprir as despesas do dia-dia. O setor de doces e artigos para festas aprendeu muito neste período, que ainda perdura.


O ano de 2022 será mais um ano desafiador, para o setor de doces e artigos para festas, não será diferente, embora acredite que as previsões macroeconômicas serão distoantes para o nosso setor que é jovem e só cresce no Brasil.


Esta pandemia está mostrando que nós brasileiros, temos facilidade para nos adaptar a grandes mudanças, e por isso acredito em demandas que estão represadas. Uma reportagem da CNN traz um dado interessante: o número de casamentos para 2022, em um levantamento feito pela associação de cartórios aponta salto de 47% na projeção para o primeiro semestre de 2022, o número leva em consideração um represamento de mais de 200 mil casamentos registrado nos anos de 2020 e 2021. Vivemos também a expectativa do retorno das formaturas, aniversários, festas de 15 anos, chás de bebês, entre outras confraternizações que ocorrerão, claro, se o atual cenário da pandemia permitir.


O aumento dos custos de mercadorias é algo que preocupa, embora há notícias de regularidade na cadeia de fornecimento, principalmente de importação, o período pré-eleitoral historicamente aponta um descompasso do nosso câmbio, com um possível aumento do dólar, que fecha o ano de 2021 em um patamar de 5,58 (comercial) apontando uma desvalorização da nossa moeda perante o dólar americano e que impacta drasticamente na composição dos custos da indústria e do importador.


Embora as previsões não são tão positivas, temos um 2022 recheado de comemorações: o ano inicia com o Carnaval (não deverá haver grandes aglomerações), posteriormente temos a festa que movimenta um grande volume em nosso setor que é a Páscoa, com grande expectativa do varejo e da indústria, depois de dois anos sem grandes eventos, a boa perspectiva paro retorno das festas juninas. No segundo semestre, temos a tradicional comemoração de São Cosme & Damião, uma festa que tem se mostrado estável nos últimos 5 anos e trazendo o oposto, logo após, vem o Halloween festa que mais cresce em nosso calendário com um sortimento de doces, decorações e fantasias. Neste ano, teremos ainda a Copa do Mundo de Futebol aguardada com expectativa pelo nosso mercado, e encerrando o ano com as festas de fim de ano.


Chegou o momento de comemorarmos a vida, e os obstáculos que cada um de nós superamos em tempos de pandemia. Me despeço acreditando que em 2022 teremos dias melhores, dias mais felizes, dias de festas! Vamos acreditar!