Varejo: melhora na intenção de consumo atinge maior nível em dois anos e deve gerar vagas de emprego

Com um aumento de 1,1% em janeiro, as vendas devem aumentar no comércio, influenciando na criação de novas oportunidades de emprego.


Banco de imagens Canva

A Intenção de Consumo das Famílias (ICF) alcançou um novo patamar em janeiro de 2022, registrando a maior pontuação desde maio de 2020, marcando 76,2 pontos, segundo a Confederação Nacional do Comércio de Bens, Serviços e Turismo (CNC).


O indicador teve alta de 1,1% em relação ao mês anterior e de 3,6% frente a janeiro de 2021.


Dos sete tópicos usados para cálculo do indicador, o de emprego atual foi o que registrou aumento mais expressivo, de 2,6% em janeiro ante dezembro, para 97 pontos.


Além dele, mais quatro mostraram saldo positivo, em janeiro ante dezembro. É o caso da perspectiva profissional (1,6%); renda atual (0,5%); nível de consumo atual (0,8%) e perspectiva de consumo (2,5%).


Na comparação com janeiro de 2021, a alta nesse tópico foi de 9,2%. Ao analisar esses resultados, a CNC afirmou que "eles representam a evolução do mercado de trabalho, com o maior percentual desde maio de 2020 de famílias que se sentem mais seguras com seu emprego".


Melhora impacta no mercado de trabalho


Para Arnaldo de Paula, Gerente de operações e RH da Allis Talent Aquision, que viabiliza a contratação de trabalhadores para o varejo desde 2019, o cenário obteve uma melhora por causa das novas modalidades de trabalho, que expressaram um aumento significativo de contratações no último ano e devem ser aproveitadas por quem está atrás de novas oportunidades.


“Temos visto um interesse maior das empresas em trabalhadores temporários e intermitentes, que foi ocasionado principalmente pela pandemia, com o objetivo de diminuir o trabalho informal. No final de 2020 tivemos em torno de 2.800 atendimentos consolidados de intermitentes no varejo alimentar, de moda e na área de logística, já no final de 2021 tivemos cerca de 19.000”, finaliza.


A CNC apontou ainda que os dados indicam que, apesar das incertezas para este ano, os consumidores estão confiantes em um crescimento econômico. André Romero, diretor da Allis Comunicação, acredita que o aumento da intenção de consumo e da positividade frente ao cenário econômico devem ser aproveitados para impulsionar o comércio, trazendo mais atenção para as vendas, principalmente com a proximidade do Carnaval.


"Agora é o momento de focar no ponto de venda (PDV) para atrair visitas e ganhar a confiança do consumidor, atingindo sucesso na venda de produtos no varejo. A comunicação dentro da loja e na gôndola são importantes porque as pesquisas mostram que a decisão final do cliente está 70% das vezes no ato da compra", afirma. As marcas que conseguem ter uma comunicação consistente dentro e fora da loja estão mais presentes nas cestas de compras e são grandes exemplos de market share, share of mind e share of wallet.


Por isso, André Romero separa os pontos principais para aproveitar o aumento no índice de consumo e realizar mais vendas: "É preciso saber qual comunicação funciona com seu tipo de loja, voltar ações do marketing para o PDV e pensar na comunicação educativa dos produtos. É a partir desses três pilares que a loja consegue transmitir os insights necessários para a evolução da relação do shopper com a marca e aproveitar a alta no consumo da população", explica.

 

Fonte: https://www.contabeis.com.br/noticias/50330/varejo-melhora-na-intencao-de-consumo-atinge-maior-nivel-em-dois-anos-e-deve-impulsionar-novas-contratacoes/