Trabalho temporário deve gerar mais de 225 mil vagas em setembro

Asserttem estima aumento de 20% na abertura de oportunidades de emprego comparação com igual período em 2020

Banco de imagens Wix

Os setores da indústria, serviços e varejo devem abrir mais de 225 vagas temporárias em setembro, dando sinal da retomada da economia com o início da vacinação e a redução no caso de mortes decorrente da covid-19.


A estimativa é da Asserttem (Associação Brasileira do Trabalho Temporário) que espera um aumento de 20% no volume de contratações em relação a igual período de 2020.


"Mesmo com a crise financeira gerada pela pandemia acreditamos que a retomada da economia está começando e estamos otimistas com as contratações para o segundo semestre", afirma Marcos de Abreu, presidente da Asserttem.


Abreu destaca que em meio às incertezas da economia, as empresas perceberam que o contrato de trabalho temporário era a forma mais segura para manter sua produção ativa.


Com isso, a modalidade de contratação manteve-se ativa no período.


Vacina deve estimular aumento de contratações.

A antecipação da vacinação da população adulta (maiores de 18 anos) em diversos estados brasileiros pode surpreender positivamente em relação à contratação de temporários, segundo o executivo.


Para Abreu, se em 2020 a indústria foi quem puxou as contratações temporárias, neste segundo semestre o setor de serviços deve se destacar.


" Talvez 2021 seja o ano do setor de serviços, principalmente no que se refere aos segmentos de cuidados pessoais, como salão de beleza, saúde, como clínicas médicas, e turísticas, como hotéis e companhias aéreas. São áreas que com a retomada das operações devem voltar a contratar. " MARCOS DE ABREU

Mesmo com o cenário positivo esperado para o setor de serviços, Abreu frisa que a indústria seguirá com a maioria das contratações temporárias.


Outra área que pode surpreender, na opinião do presidente da Asserttem, é o comércio, já que shoppings e varejo de rua retomaram as suas atividades em período integral.


Contrato temporário de trabalho é a porta para efetivação.

Com a pandemia da covid-19, muitas empresas aderiram ao contrato temporário para manter a sua produção ativa. A modalidade é mais permite mais flexibilidade de gestão, rapidez, acessibilidade financeira em relação à CLT (Consolidação das Leis do Trabalho).


Mas, como transformar a vaga temporária em uma efetivação? Segundo abreu, 22% dos trabalhadores temporários são efetivados.


A dica é mostrar o que pode oferecer para a empresa em termos de competência e experiência profissional, já que as organizações buscam profissionais responsáveis e comprometidos com o negócio."


Também é importante demonstrar disponibilidade e engajamento para o trabalho, com dedicação e com vontade de aprender, segundo Abreu.


"Desta forma, a chance desse trabalhador garantir uma vaga efetiva ao término de seu contrato temporário aumenta consideravelmente."


Qual a diferença entre profissional temporário e CLT?

O trabalhador que assina um contrato temporário tem praticamente os mesmos benefícios do trabalhador CLT (Consolidação das Leis do Trabalho) convencional:


  • Remuneração igual ao que recebe o empregado CLT;

  • Jornada de trabalho de 8 horas

  • Hora extra remunerada de até duas horas, se for preciso;

  • Férias proporcionais acrescidas de adicional de 1/3;

  • Repouso semanal remunerado;

  • Adicional por trabalho noturno, se for o caso;

  • Seguro contra acidente de trabalho; e

  • Proteção previdenciária (nos termos da Lei da Previdência Social).

  • 13º salário

  • FGTS

As exceções são:

  • 40% do fundo de garantia

  • Seguro desemprego

  • Aviso prévio

 

Fonte: https://noticias.r7.com/economia/economize/trabalho-temporario-deve-gerar-mais-de-225-mil-vagas-em-setembro-30082021