PMEs: fim da bandeira de escassez hídrica e redução das taxas energéticas deve favorecer categoria

As pequenas e médias empresas (PMEs) foram uma das categorias mais prejudicadas com os efeitos da pandemia e a redução energética pode ajudar na recuperação do setor.


Banco de imagens Canva

O governo suspendeu a bandeira de escassez hídrica no último dia 16 de abril e a partir de agora a taxa extra aplicada às contas de luz ficará na cor verde até o fim do ano, sem cobrança adicional para os consumidores.


A medida favorece a população em geral e também os pequenos negócios, segundo a analista do Serviço de Apoio às Micro e Pequenas Empresas do Estado do Rio de Janeiro (Sebrae Rio), Aline Barreto.


Segundo Aline, os pequenos negócios foram muito afetados pela pandemia de Covid-19. “Com o aumento da energia elétrica, os empreendedores precisaram avaliar se valia a pena repassar o aumento para o consumidor. Essa medida trará alívio para quem empreende”, afirmou a analista do Sebrae.


De acordo com uma pesquisa feita pelo Sebrae nacional em dezembro de 2021, focada no momento que os pequenos negócios atravessam, foi constatado que a grande maioria dos empreendedores nacionais tomou medidas para diminuição dos custos com energia elétrica.

O estudo foi feito com 6.883 empreendedores de todos os estados e do Distrito Federal, composta por 59% de microempreendedores individuais (MEI) , 36% de microempresas (ME) e 5% de empresas de pequeno porte (EPP).


Formas de reduzir o gasto de energia

Entre os responsáveis por pequenos negócios entrevistados na pesquisa, 24% evitam usar energia no horário de pico, 4% instalaram painéis solares, 9% trocaram equipamentos antigos por outros mais modernos, 9% inspecionaram a qualidade das instalações elétricas da empresa, 38% orientaram seus colaboradores sobre a importância de gastar menos energia e 31% não tomaram nenhuma medida.


Dicas para economizar

O Sebrae Rio oferece algumas dicas para os empresários economizarem na conta de energia elétrica:

  • Investir em aparelhos elétricos econômicos com selo Procel, que categoriza produtos de A a G;

  • Substituir equipamentos antigos, fazer revisão nos aparelhos e desligar os que não estão sendo usados;

  • Apostar em iluminação natural ou solar;

  • Conscientizar funcionários sobre a necessidade de economizar;

  • Evitar ligar muitos aparelhos na mesma tomada;

  • Observar o horário de uso destes;

  • Investir em isolamento térmico;

  • Trocar lâmpadas por modelos mais econômicos;

  • Buscar orientação especializada e investir em fontes renováveis de energia.

De acordo com o levantamento do Sebrae nacional, os empreendedores acreditam que a economia só voltará ao normal em 16 meses, ou seja, em abril de 2023.


Conforme a pesquisa, o momento vivido pelos pequenos negócios é refletido nos seguintes percentuais: 31% estão funcionando como funcionavam antes da crise; 55% passaram por mudanças por causa da crise; 9% tiveram o funcionamento interrompido temporariamente e 5% fecharam de vez.

 

Fonte: https://www.contabeis.com.br/noticias/51233/pmes-fim-da-bandeira-de-escassez-hidrica-deve-favorecer-categoria/