Mulheres empreendedoras ganham destaque no Prêmio Nacional de Inovação

Com criatividade e ousadia, micro e pequenas empresas finalistas da 7ª edição da premiação mostraram capacidade de inovação em diversos segmentos


Banco de imagens Canva

A 7ª edição do Prêmio Nacional de Inovação, realizada na noite de terça-feira (8), no mesmo dia em que se comemora o Dia Internacional da Mulher, reconheceu donas de pequenos negócios inovadoras do Brasil. A iniciativa, realizada pelo Sebrae em parceria com a Confederação Nacional da Indústria (CNI), avaliou a capacidade de inovação de mais de 2 mil projetos inscritos por empresas industriais e micro e pequenas empresas de todos os setores, além de ecossistemas de inovação de todo território nacional.


Entre as 44 finalistas convidadas para a festa de premiação, está a Oficina do Sorvete, de Foz do Iguaçu, no Paraná. A empresa gerida por mulheres foi a grande vencedora do prêmio na categoria Inovação em Sustentabilidade dentre os pequenos negócios. Com o apoio do Sebrae, por meio do Agente Local de Inovação (ALI), o pequeno empreendimento desenvolveu uma assinatura de sorvetes, Sabores de Iguaçu, produzido com frutas nativas do Parque Nacional do Iguaçu, inclusive com variedades ameaçadas de extinção.


Mesmo enfrentando dificuldades devido à pandemia da Covid-19, a empreendedora Maria Cristina Ventura Muggiati, que comanda a empresa, enxergou no Prêmio a possibilidade de dar visibilidade à iniciativa que tem beneficiado produtores rurais de agroflorestas locais. “Eu estava totalmente focada na empresa porque nosso quadro tinha sido reduzido durante a pandemia. Foi um momento difícil e o Sebrae esteve ao nosso lado para nos tirar muitas vezes do abismo. Participar do prêmio não parecia possível naquele momento, mas percebi que poderia ser uma oportunidade de divulgar nosso trabalho e mostrar que é possível inovar em um negócio tradicional e preocupado com o impacto no meio ambiente”, contou.


Com a criação de uma nova linha de sorvetes, o pequeno negócio atingiu um novo nicho de mercado, em que as pessoas têm compromisso com sustentabilidade, o que trouxe aumento no valor percebido da marca, gerando lucro. O valor agregado a partir da inovação também permitiu remunerar bem os produtores rurais fornecedores de frutas nativas, praticando o comércio justo, segundo as recomendações do Fair Trade. “A Maria Cristina pensa no negócio como um ecossistema, incluindo os clientes, os colaboradores e toda a cadeia produtiva envolvida”, destacou a consultora do Sebrae e ALI, Maísa Silvestre, que acompanhou todo o processo.


Nos últimos dois anos, a Oficina do Sorvete também reduziu o consumo de plásticos nas embalagens dos picolés, passou a utilizar apenas potes biodegradáveis para os sorvetes, e realizou a adoção de painéis solares para a produção de energia limpa.


Premiação como referência para novos modelos de negócios

Na categoria Gestão da Inovação, na modalidade pequenos negócios, a Get In Aceleradora de Negócios e Startups, de Salvador, na Bahia, foi outra vencedora da noite. A empresa se considera fruto do Prêmio Nacional de Inovação da última edição 2018/2019, quando a Topos Informática então ganhadora na categoria de Inovação Organizacional, teve a oportunidade de consolidar um novo modelo de negócio durante a pandemia da Covid-19. A nova empresa que até então funcionava como uma unidade de apoio administrativa, transformou-se na Get In que funcionaria com base na lógica de aceleração de startups e geração de spin-offs no ecossistema de inovação baiano.


Para Ramon Santos, VP de Inovação da Get In, a participação na edição anterior do Prêmio proporcionou que a nova empresa, nascida em plena pandemia, tivesse condições para acreditar na possibilidade de ganhar a premiação novamente. “Acredito que o principal ponto para nossa vitória tenha sido olhar para o Prêmio como um modelo de excelência e aplicá-lo desde o dia que a Get In nasceu como um CNPJ autônomo”, analisou.

A empresa que tem a gestão da inovação como diferencial competitivo, oferece mentorias e apoia empresas de base tecnológica no desenvolvimento de produtos e serviços inovadores. Para isso conta com uma estrutura de acompanhamento de soluções que inclui desde a ideação até a implementação de soluções. Também se destaca no mercado por possuir um centro de recursos compartilhados que auxilia os negócios acelerados em questões burocráticas, proporcionando que os empreendedores foquem mais em inovação.


O Sebrae tem feito parte da trajetória da Get In em parcerias estratégicas para promover negócios de impacto no ecossistema de inovação baiano, entre elas, iniciativas ao lado da Associação Nacional de Entidades Promotoras de Empreendimentos Inovadores (Anprotec) e Instituto de Cidadania Empresarial (ICE). O pequeno negócio inovador também tem participado ativamente de programas como o Sebraetec, em que atuam como fornecedor de serviços tecnológicos para outras MPE e recentemente participaram do Brasil Mais, ação do governo federal em parceria com o Sebrae. “Participar do Brasil Mais nos permitiu aplicar a assessoria do programa que possuiu uma metodologia reconhecida da atuação dos ALI. Assim, definimos metas bem definidas para entregar resultados relevantes”, explicou o VP da Get In.


Conheça abaixo os outros pequenos negócios vencedores da 7ª edição do Prêmio Nacional de Inovação em suas respectivas categorias:


Categoria – Processo: Safety World, de Resende (RJ)

Categoria – Produto: Aquarela Analytics, de Florianópolis (SC)

Categoria – Destaque Saúde e Seguranaç no Trabalho (SST): Ecoquality Air Services, de São José dos Campos (SP)

Categoria – Ecossistemas de Inovação:

- Estágio inicial: Sistema Regional de Inovação do Norte Pioneiro do Paraná (PR)

- Estágio em desenvolvimento: Pro_Move Lageado do Rio Grande do Sul

- Estágio consolidado: Iguassu Valley – Sistema Regional de Inovação do Oeste do Paraná

 

Fonte: https://www.agenciasebrae.com.br/sites/asn/uf/NA/mulheres-empreendedoras-ganham-destaque-no-premio-nacional-de-inovacao,40c552b214f6f710VgnVCM100000d701210aRCRD