Matérias-primas mais caras elevam preocupação da indústria no 1º tri

Empresários do setor também sofrem com queda no consumo das famílias, juros altos e fretes, aponta CNI


Banco de imagens Wix

Quase seis em cada 10 empresários industriais (58,8%) ainda consideram a falta ou o alto custo das matérias-primas como o principal problema enfrentado pelo setor no primeiro trimestre de 2022, mostram dados divulgados nesta terça-feira (19) pela CNI (Confederação Nacional da Indústria).


Ainda na liderança entre as preocupações, as matérias-primas agora dividem espaço com outros três entraves que começaram a despontar no ambiente industrial: o consumo interno das famílias insuficiente, as taxas de juros em níveis elevados e as dificuldades com logística.


Para Marcelo Azevedo, gerente de análise econômica da CNI, avalia que a citação 25,5% dos empresários industriais de que a queda da demanda é um problema surge exatamente no momento em que a oferta começa a se ajustar.


“A dificuldade de acesso à matéria-prima começa a ter uma pequena redução e o problema de demanda fica mais evidente. É realmente uma situação muito complicada”, lamenta Azevedo ao recordar que, no segundo trimestre do ano passado, o problema atrapalhava menos de 20% das empresas.


O aumento mais expressivo da preocupação ocorre nos 20,8% do empresariado que considera as altas taxas de juros um problema. No fim do ano passado, apenas 7,6% consideravam os juros um obstáculo ao seu negócio.


É o quarto trimestre consecutivo que cresce o descontentamento com a elevação das taxas de juros. Além disso, as dificuldades na logística de transporte já afetam 13,8%, ante 11,8% no trimestre anterior. Trata-se do terceiro trimestre seguido de alta.


Produção industrial

Apesar das dificuldades apresentadas, o levantamento feito com 1.842 empresas destaca que a produção industrial apresentou vigoroso crescimento em março de 2022. O índice de evolução da produção ficou em 54,5 pontos, resultado que está acima da linha divisória entre queda e crescimento da produção.


Desde dezembro, a produção do setor encontrava-se abaixo do patamar dos 50 pontos, comportamento que foi revertido em março, indicando crescimento da produção. Além disso, o índice que mensura a produção industrial em março de 2022 foi 4 pontos percentuais acima de março de 2021.


A UCI (Utilização da Capacidade Instalada) aumentou 1 ponto percentual, para 69%, entre fevereiro e março, enquanto a intenção de investimento permaneceu estável ao alcançar os 56,6 pontos, ainda acima da média histórica de 51 pontos.

 

Fonte: https://noticias.r7.com/economia/materias-primas-mais-caras-elevam-preocupacao-da-industria-no-1-tri-19042022