top of page

Inteligência Artificial anda de mãos dadas com produtividade e favorece a evolução das empresas

Com aplicações que facilitam processos de programação, coleta de dados e comunicação, Inteligência Artificial é uma aliada obrigatória para negócios que não querem ficar para trás


Fonte: Banco de imagens Wix

Face a face com a rápida ascensão das ferramentas de Inteligência Artificial, muitos podem estar se perguntando: o que muda para quem quem já está empregando a IA nos processos e operações rotineiras? A questão pode ser respondida com uma única palavra: produtividade.


O termo produtividade aceita várias interpretações, mas uma de suas definições mais aceitas indica a relação da capacidade de produção em relação ao tempo. Em outras palavras, operações produtivas produzem mais e melhor em um período reduzido de tempo – uma relação que, no campo do Marketing, poupa recursos criativos e financeiros e permite a distribuição do foco produtivo para diversas áreas distintas.


Nesse contexto, operações que ainda não fizeram da Inteligência Artificial uma importante aliada para a resolução das urgências diárias estão ficando para trás, ao passo que perdem tempo e dinheiro. “Como você faz para não ficar muito para trás? Pensando em produtividade. Atualmente, suítes baseadas em Inteligência Artificial já permitem elevar a capacidade de testar a outra escala. E se falamos de Marketing, testes não são opcionais”, adverte Marcel Ghiraldini, Chief Growth Officer da Math Marketing, em bate-papo com o Clube Mundo do Marketing.


Como a Inteligência Artificial contribui para a produtividade

Antes de prosseguir, vamos recorrer ao dicionário Mundo do Marketing para definir outro termo: automação. De forma simples, as ferramentas de automação buscam reduzir a carga de trabalhos manuais para aumentar a eficiência de pessoas e processos, acelerando percursos e liberando o foco das equipes. “É possível aumentar a capacidade e velocidade de fazer Copy ou atendimentos via chat, por exemplo. Por aqui, aumentamos a quantidade de peer review no time que faz codificação. Então, não é preciso que um programador revise o trabalho de outro programador porque o Chat GPT faz isso de forma mais rápida e eficiente”, destaca Ghiraldini.


As contribuições do Chat GPT para os programadores se estendem, também, para campos mais complexos de trabalho. “Utilizamos o Copilot do Github, então, há tempos o pessoal tem a facilidade de, ao começar a digitar uma classe, obter o retorno do produto indicando a classe mais utilizada para uma imagem para o Twitter, por exemplo. Assim, basta entrar e o produto estará preenchido com as variáveis declaradas nos nossos códigos”, comenta.


No mundo do Marketing, poucas ações são tão importantes quanto a testagem. Não é segredo que estes processos demandam tempo e recursos para serem realizados de forma assertiva – no entanto, cada vez mais, as ferramentas de IA se provam capazes de promover uma verdadeira revolução no campo da testagem. “A suite da Adobe, por exemplo, é maravilhosa em termos de quantidade de coisas que você consegue fazer ao mesmo tempo. Estamos falando de um potencial para três mil testes diários. Isso é levar a sua capacidade de testar a outra escala, e quando falamos de Marketing, testes não são opcionais”, conclui o CGO.


Não fique para trás

Além de suas aplicações práticas do ponto de vista técnico, um dos maiores triunfos conquistados pela ascensão ferramentas de Inteligência Artificial é a característica da acessibilidade, que contribui para a produtividade de operações que não dispõem de vastos recursos financeiros. “Em cinco dias, o Chat GPT conquistou 1 milhão de usuários. É muito fácil e muita gente já está usando. Com ferramentas como o Chat GPT e o Midjourney, as empresas conseguem musculatura para testar mais e testar melhor. Esse é o primeiro passo para não ficar para trás”, conclui o CGO.


Importante para empresas de todos os portes, a coleta, leitura, interpretação e organização dos dados dos clientes é outra tarefa que pode ser expandida principalmente pela profundidade alcançada por ferramentas de Inteligência Artificial. “Você tem uma boa qualidade de dados do seu cliente? Consegue entender o seu cliente de forma individual? Consegue olhar para todo o histórico de compra? A sua malha de dados está bem feita? O Chat GPT só é o Chat GPT porque ele olha os dados dos últimos 20 anos da internet. Se você não tem histórico de dados, você não vai conseguir individualizar as suas campanhas rápidas”, pontua.


A coleta e organização dos dados contribui para um objetivo comum no radar de empresas e operações de todos os segmentos: a individualização da comunicação em larga escala. “É preciso pensar na qualidade dos dados que você está pegando, chamar um cientista de dados para diferenciar sinais de ruído, e guardar os dados realmente necessários. Caso existam recursos disponíveis para investir, uma boa ideia é pensar na utilização de um CDP, que aumenta o conhecimento das marcas sobre os consumidores e também a capacidade de criar perfis destes clientes. Isso é muito importante para a individualização da comunicação”, finaliza Ghiraldini.

 

bottom of page