top of page

Confiança dos empresários do comércio cresce 9,6%, em novembro

Classe continua a dar sinais positivos, mesmo diante de um cenário de incertezas, aponta FecomercioSP


Fonte: Banco de imagens Canva

Os comerciantes da cidade de São Paulo continuam otimistas com a conjuntura econômica. Em novembro de 2022, o Índice de Confiança do Empresário do Comércio (ICEC) avançou 9,6%, comparado ao mesmo período do ano passado.


Os outros dois indicadores analisados pela Federação do Comércio de Bens, Serviços e Turismo do Estado de São Paulo (FecomercioSP), referentes à intenção de expandir os negócios e à situação dos estoques, também apresentaram índices positivos: 10,5% e 4,7%, respectivamente.


O ICEC avançou 2,3% no 11º mês do ano em relação a outubro – de 122,4 para 125,2 pontos. Dentre as variáveis que integram o índice, a que avalia as condições atuais (ICAEC) cresceu 2,1%, passou de 106,1 em outubro para 108,3 pontos, no mês seguinte.


O IEEC, que mensura as expectativas futuras, também avançou 2,1% – de 152,9 para 156,1 pontos, na mesma comparação. A variável que avalia o índice de investimento (IIEC) subiu 2,8%, de 108,3 pontos, no décimo mês do ano, para 111,3 pontos, em novembro. Na base de comparação anual, os três indicadores registraram alta respectivas de 19,7%, 5% e 7,2%.


A pesquisa da FecomercioSP destaca que os empresários continuam otimistas, mesmo diante incertezas derivadas da alta de juros, do crescimento do endividamento das famílias e do fim dos estímulos, além dos problemas fiscais. Variáveis estas que ainda podem desencadear um prolongamento futuro de incertezas.


Expansão e contratação

A intenção dos comerciantes em expandir os negócios, avaliada pelo Índice de Expansão do Comércio (IEC), cresceu 10,5% em novembro deste ano, em comparação com o mesmo período de 2021. Entre outubro e novembro de 2022, o aumento foi de 2,3%: de 122,4 para 125,2 pontos.


Avanço também constatado no índice que mede as Expectativas para Contratação de Funcionários – de 122,3 para 124,9 pontos, na comparação mensal, um crescimento de 2,1%.

O Nível de Investimento das Empresas aumentou 8,6%, saltou de 127,7 pontos, em outubro, para 138,6 pontos, em novembro. Na comparação interanual, ambos os quesitos registraram resultados assimétricos: 7,1% e 50,2%, respectivamente.


É possível afirmar que o setor empresarial está mais confiante em investir neste fim de ano do que em 2021, antecipando dias melhores. Isso pode ser justificado pelo cenário sem restrições sanitárias – diferentemente do existente no período da pandemia – e pelo quadro de vacinação mais avançado.


Nível de adequação de estoque cresce

O número de empresários que relataram dispor de estoques adequados é maior do que os que afirmam inadequação: 56,4% contra 42,6%, respectivamente. Segundo o estudo da FecomercioSP, as festas de fim de ano e a Black Friday promovem um planejamento mais adequado para as empresas.


Pelo segundo mês consecutivo, o Índice de Estoque (IE) subiu, passando de 114,2 pontos, em outubro, para 117,3 pontos, em novembro (2,7%). Na comparação anual, o crescimento é de 4,7%.


A proporção dos empresários que consideram a situação adequada dos seus estoques cresceu 1,7%: de 56,8%, em outubro, para 58,5%, em novembro. Aqueles que relatam a situação inadequada para cima do desejado caiu 1,9% – de 28,8% para 26,9%, no período.


Segundo a FecomercioSP, a dica para as empresas é traçar planos comerciais estratégicos, buscando a melhor margem de contribuição dos produtos para aproveitar o retorno esperado durante os períodos festivos de fim de ano.


Atenção aos descontos concedidos, para não perder lucratividade, é outro ponto a ser levado em conta. Além disso, é hora de aproveitar a oportunidade para investir na conquista de novos clientes, mediante o bom atendimento e a utilização de marketing de conteúdo.

 

Posts recentes

Ver tudo

Série: Falando sobre LGPD ATUAÇÃO DA ANPD

A Autoridade Nacional de Proteção de Dados - ANPD foi instituida pela Medida Provisória n. 869, de 27 de dezembro de 2018, posteriormente convertida na Lei n. 13.853, de 14 de agosto de 2019. É um órg

bottom of page