Atenção para não cair em golpes e fraudes nas redes sociais


Banco de imagens Wix

Cada vez mais novas técnicas vêm sendo aplicadas em golpes de redes sociais, em especial no Instagram. É preciso o máximo de cuidado e atenção redobrada com a segurança do seu perfil e para não cair em armadinhas nos perfis alheios.

Geralmente, os golpistas anunciam nos stories da rede social a venda de alguns produtos, como eletrodomésticos, eletroeletrônicos, móveis, celulares, artigos de luxo, entre outros, geralmente com preços bem abaixo dos praticados no mercado. É como se o dono da conta estivesse passando por alguma dificuldade financeira ou mudando de país, precisando vender urgentemente os produtos. Em caso de perfis comerciais, os golpistas praticamente criam uma conta similar ao da empesa e passam a enviar mensagens oferecendo sorteios, promoções e descontos.

Os usuários acreditando que os anúncios e promoções são verdadeiros, acabam se comunicando via direct para obter informações para o pagamento. Os criminosos enviam uma chave PIX, pedem o comprovante e após o pagamento bloqueiam a vítima ou não respondem mais com informações sobre retirada ou entrega do produto.

Como funciona o golpe:

Os criminosos se utilizam de estratégias audaciosas para conseguirem as informações dos usuários da conta na rede social e assim passarem a cometer os crimes. Uma das técnicas usadas é o “Phishing”, que tem como objetivo “roubar” informações pessoais do usuário por meio do envio de links e e-mails falsos ou outros tipos de vírus. Ao clicar em determinado link, confirmando informações e enviando códigos de verificação, o usuário tem a sua conta comprometida.

Outro golpe muito comum são as contas clonadas, que tentam se passar por um perfil oficial de alguém conhecido, empresa ou até mesmo uma pessoa comum. Não apenas as redes sociais são clonadas, mas também o WhatsApp.

Medidas para se proteger:

Para evitar cair em um golpe, o usuário deve ficar atento ao clicar em links e enviar códigos de verificação. Desconfie e tente checar as informações em canais oficiais da empresa ou entrando em contato diretamente com amigos e familiares para saber se a mensagem é verdadeira ou não. Lembre-se: bancos não entram em contato pedindo senhas ou códigos para os clientes.

Para proteger a sua conta na rede social é preciso ativar a “Autenticação de dois fatores”. Assim, além de inserir a senha, com essa etapa extra é preciso incluir um outro código de acesso, geralmente enviado para um aplicativo instalado no celular, para confirmar que quem está acessando a conta é o próprio usuário. Para ativar a função no Instagram, acesse seu perfil e clique em Configurações. Clique na opção Segurança e escolha autenticação de dois fatores. Clique em Iniciar para configurar o envio por meio de código SMS. Caso sua conta não tenha um número de telefone confirmado, você precisará inseri-lo.

Outra maneira é verificar se você foi contatado por conta clonada é entrar em contato com essa pessoa através de um método alternativo, como uma ligação telefônica. Todo o cuidado é pouco, pois muitas vezes não somente a conta do Instagram foi invadida, mas o WhatsApp também, e os criminosos conseguem conversar com a outra pessoa como se estivesse se passando por você.

Para manter sua conta segura, recomenda-se definir seu perfil como privado, bem como definir limites para quem você permite te seguir. Alguns criminosos usam informações do seu perfil, fotos e contatos para criar uma conta falsa para aplicar golpes.

Tenha cuidado também com vendedores falsos que criam perfis falsos. Se o usuário nunca ouviu falar da empresa, isso deve servir de alerta para pesquisar um pouco mais. Uma consulta no Google pode ajudar, procurando através do nome da empresa, o a regularidade da inscrição perante órgãos públicos, como Receita Federal e Junta Comercial, além das avaliações dos clientes, para verificar se não há indícios de possível atividade fraudulenta.

Ao identificar qualquer problema com a sua conta, peça ajuda aos clientes, amigos e familiares para que denunciem o perfil junto ao suporte de tecnologia à plataforma, a fim de que a própria rede social possa realizar o banimento do criminoso. Também é importante reforçar por outros canais que a sua conta foi invadida, relatando o problema, como por exemplo, informar que não está realizando vendas ou pedindo dinheiro, para evitar que terceiros sejam prejudicados pelos criminosos.

 

Fonte: http://doc.fecomercio.com.br/mixlegal.php?edicao=3053